Return to site

JUNTAS reforçam apelo para que Projeto de Lei que proíbe motoristas de ônibus de exercerem dupla função seja aprovado.

· DISCURSOS

Hoje pela manhã, trabalhadoras e trabalhadores rodoviários fizeram uma paralisação em protesto contra a dupla função. Essa é uma questão muito grave, que já está sendo posta em prática e que prejudica fortemente essa categoria de trabalhadores e trabalhadoras, assim como prejudica também a população usuária de ônibus.

O exercício da dupla função desses trabalhadores, como motorista e cobrador, coloca tanto eles quanto a população em perigo de vida, pois, apesar de dizerem que o motorista só pode colocar o ônibus em movimento depois de dar o troco, não é assim que isso ocorre no dia a dia.

Mas, mesmo que o motorista faça isso, ele acaba tendo que lidar com várias preocupações:

  1. Preocupação em não dar o troco errado, principalmente para mais, o que o levará a ser descontado pelo empregador;
  2. Quando não há troco, o motorista muitas vezes escuta xingamentos de passageiros, como se o próprio motorista fosse o culpado por não ter troco.
  3. Na condução do veículo, o motorista-cobrador ainda tem que suportar a falta de civilidade no trânsito, aumentando ainda mais a tensão durante o trabalho.

Com a dupla função, ganham os donos das empresas de ônibus e perdem os rodoviários e os passageiros. As viagens ficarão mais demoradas e a segurança no trânsito ficará comprometida, aumentando o risco de acidentes.

É preciso lembrar a grande responsabilidade que traz a função do motorista de ônibus: ele é o culpado por qualquer acidente que venha a ferir tanto os passageiros quanto os pedestres, ciclistas e demais condutores de carros no entorno. Por outro lado, diante do quadro de grande desemprego em que o Brasil está e que em Pernambuco não é diferente, adotar a dupla função nos ônibus significa também desempregar um grande número de cobradores e cobradoras.

A luta contra a dupla função e contra a demissão dos cobradores precisa ser abraçada não só pela categoria rodoviária, mas também pelos usuários do transporte público, pelos movimentos sociais como um todo e também pela Alepe, que é a Casa do Povo!


Há algumas semanas, as Juntas protocolaram o PL 471, que visa proibir o acúmulo das funções de motorista de ônibus e cobrador de tarifas no transporte público coletivo intermunicipal de caráter urbano, na área abrangida pela Região Metropolitana do Recife.
 

Estamos cumprindo nosso papel enquanto poder legislativo, buscando proteger não apenas os trabalhadores rodoviários, mas toda a população usuária de transporte coletivo. Governador Paulo Câmara, nós das JUNTAS solicitamos que o governo tome providências para impedir a adoção da dupla função pelas empresas de ônibus do estado.
 

É preciso que as autoridades governamentais e os empresários ouçam o que está sendo dito por trabalhadores e também por especialistas sobre os graves problemas que essa prática vai trazer para toda a população.

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OK