Voltar ao site

Juntas protocolam títulos de cidadãs pernambucanas para Joy Thamires e Maria Daniela

Joy Thamires e Maria Daniela recebem os títulos de cidadãs pernambucanas por suas fortes atuações em defesa dos direitos humanos em áreas diversas

· NOTÍCIAS,SALA DE IMPRENSA

A mandata coletiva das Juntas codeputadas (PSOL-PE) protocolou no último dia 10 de dezembro, os Projetos de Resolução (PR) Nº 002998/2021 e Nº 002999/2021, que respectivamente concedem a Joyce Thamires dos Santos e Maria Daniela de Mendonça Motta os títulos de cidadãs pernambucanas pela atuação de cada uma delas em defesa dos direitos humanos em áreas diversas no Estado de Pernambuco. 

Joyce Thamires dos Santos, mais conhecida como Joy Thamires, tem 28 anos e atualmente mora na periferia do Recife, em Joana Bezerra. Nascida em São Paulo, chegou em Pernambuco em meados de 2015. Aqui em Pernambuco foi onde descobriu ser mulher negra, mulher escritora e mulher de terreiro. Lançou 4 livros: "Fiz da minha senzala poesia, e da minha poesia meu jardim", " Terra negra", " Que afeto te afeta?" e "Pipoca" todos lançados de forma independente. Começou na sua militância a lutar por seus direitos, diretamente ligados à sua vivência de mulher negra da periferia. Luta pelos direitos das mulheres negras, LGBTQI+ pessoas de terreiro e por uma moradia digna para todos.

Joy atua no projeto da FASE com parceria com a Oxfan Brasil desde de 2017. Começando pelo projeto Hub das pretas - Jovens mulheres negras fortalecidas na luta contra o racismo e sexismo. Onde teve várias formações políticas. Também faz parte do projeto Juventude e Cidade, onde lá discute sobre direito à cidade. 

Maria Daniela de Mendonça Motta, autoreconhecida travesti, lésbica, mãe e engenheira agrônoma.  Transativista, iniciou sua passagem nos movimentos sociais durante os anos 90, no movimento estudantil. Após alguns anos de afastamento, retornou ao ativismo em 2015, atuando no fortalecimento e organização de entidades do movimento trans de Pernambuco como a Nova Associação de Travestis e Transexuais de Pernambuco/NATRAPE, e Associação de Lésbicas, Gays Bissexuais, Travestis e Transexuais da Mata Sul de Permambuco/AMAS-LGBT, aonde esteve enquanto secretária executiva de ambas. Conheceu e se filiou à Rede Nacional de Feministas Antiproibicionistas, durante o I° Encontro Nacional de Feministas Antiproibicionistas (ENFA), em setembro de 2017, onde se encontra até hoje, construindo politicamente no campo do Feminismo Antiproibicionista e do Transfeminismo.

Filiou-se à Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco/AMOTRANS no ano de 2018, durante o 1° Encontro Estadual de Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Mulheres Trans de Pernambuco. É co-fundadora e integrante da Rede Autônoma de Travestis e Transexuais de Pernambuco/RATTs-PE, formada por diversas instituições do movimento trans de Pernambuco, criada a partir da onda de transfeminicídios e violência transfóbica, ocorridas no Estado entre os meses de junho e julho, como frente de enfrentamento à transfobia em Pernambuco.

Atualmente, Maria Daniela  compõe o Conselho Estadual dos Direitos da População LGBT de Pernambuco/CEDPLGBT, assumindo neste dia 03 de agosto de 2021 a cadeira ocupada pela AMOTRANS, no Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres/CEDIM. Compõe também o Comitê de Travestis e Mulheres Trans, vinculado à Secretaria Estadual da Mulher do Governo do Estado de Pernambuco. Entre os anos de 2016 e 2021, participou e contribuiu na organização de movimentos de rua e atividades em alusão às datas como 17 de Maio (Enfrentamento à LGBTfobia), 28 de Junho (Orgulho LGBT), Semana da Visibilidade Trans, Mês da Visibilidade Lésbica, 8M, entre outras atividades.

 

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK

...