Voltar ao site

Juntas em solidariedade às técnicas e técnicos de enfermagem em greve por condições dignas de trabalho

· DISCURSOS

Nesta quinta-feira (13) as Juntas subiram à Tribuna para tratar da grave situação da greve da categoria de técnicos e auxiliares de enfermagem que está em curso no estado. Há alguns dias essa categoria tem feito manifestações na avenida Agamenon Magalhães, reivindicando que o estado entre em negociação para discutir suas demandas.

A categoria está há mais de 10 anos sem reajuste salarial. Há profissionais que têm um piso salarial no valor de R$775,00. Muito abaixo do salário mínimo! Se o salário estivesse sendo corrigido, pelo menos, pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o IPCA, hoje estariam com um salário de quase R$1.700,00. Além disso, as trabalhadoras e trabalhadores pedem pagamento de adicional noturno e adicional de insalubridade.

Ao longo do dia da quarta-feira (12), várias tentativas de diálogo foram encaminhadas e o Governo do Estado chegou a iniciar a negociação, mas não se chegou a resultados. Ao final da tarde, numa reunião com a Secretaria de Saúde e de Administração, houve uma sinalização de acordo, mas o Governo não aceitou recuar da posição de penalizar os grevistas. O Governo do Estado insiste em descontar os dias de greve, e encaminhar procedimentos administrativos contra os grevistas, o que não é e não deve ser aceito pela categoria. O Governo demandou da Justiça a decretação da ilegalidade da greve, pedido este que foi acatado pelo judiciário.

O mais grave, porém, é que a categoria foi agredida pela Polícia Militar, que usou de força abusiva, inclusive com bombas de efeito moral contra as/os grevistas e agressões físicas. O Presidente do Sindicato foi detido e levado para a Central de Flagrantes, onde foi liberado rapidamente, porque não era possível configurar descumprimento de ordem judicial, que foi a alegação para sua prisão.

Toda a ação da Polícia Militar foi extremamente desnecessária e seria em qualquer situação, mas ainda mais nesta onde a categoria já estava aceitando desmobilizar a manifestação e liberar a avenida.

Governador Paulo Câmara, não é assim que se chega a acordo com a classe trabalhadora! Nós apresentamos aqui nossa solidariedade aos técnicos e técnicas e auxiliares de enfermagem, pois sua luta é justa! E exigimos do Governo que reveja sua posição e estabeleça um acordo que atenda às demandas da categoria!

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK

...