Voltar ao site

Coronavírus: Juntas fazem apelo por medida emergencial em prol dos feirantes do município de Goiana

A medida é para dar uma mínima segurança financeira para essas trabalhadoras e trabalhadores conseguirem o sustento de suas famílias durante a pandemia

· NOTÍCIAS

A mandata coletiva das Juntas (Psol-PE) protocolou na Assembleia Legislativa de Pernambuco um apelo ao Prefeito de Goiana, Eduardo Honório, e ao Governador Paulo Câmara, para que seja decretada medida emergencial de auxílio em prol dos feirantes Goianenses em situação de incapacidade financeira causada pela crise do novo coronavírus.

A indicação começou a tramitar ontem na Alepe e tem o objetivo de salvaguardar uma população que já é economicamente instável em condições normais e, que, com a crise causada pela COVID-19, tem sua situação ainda mais agravada. Especialmente depois das necessárias ações garantidoras do isolamento social para a contenção do coronavírus em Pernambuco.


O apelo se faz ainda mais necessário pelo fato de, tanto o município de Goiana quanto Pernambuco ter decretos de calamidade pública publicados desde o inicío do agravamento da pandemia no Estado. Segundo a Constituição de Pernambuco, com o estado de calamidade pública decretado, fica mais fácil para prefeitos dos municípios pernambucanos e para o Governador do Estado executar ações em favor da população.


A pandemia mudou completamente o cenário cotidiano mundial, com pessoas quarentenadas, ruas vazias e sistemas de saúde (público ou privado) sobrecarregados.


Os impactos estão sendo catastróficos e visíveis. No que diz respeito às trabalhadoras e trabalhadores, a tragédia é anunciada. Uma boa parte da população vive do seu salário, com muito aperto, e sem possibilidades de fazer poupanças ou reservas. Com a pandemia, vem a quarentena. Com a quarentena, vieram as demissões.


Da situação insustentável vem o seu desdobramento: o risco apresentado ao isolamento social que é demandado nos dias de hoje. Sendo obrigados a trabalhar, por uma questão de necessidade, não estão só expostos ao risco, como são potencialmente vetores de espalhamento do Covid-19, e assim expondo também suas famílias e o público com quem trabalham.


Portanto, é papel do Governo do Estado, bem como do Município de Goiana, a proteção aos vulneráveis.


É necessário um auxílio básico, que supra minimamente as questões básicas do cotidiano. O auxílio-emergencial do Governo Federal supre partes, mas não o todo. Remédios, alimentos, aluguel, enfim, o custo de vida. Não há como se falar em isolamento social sem condições para sobrevivência.

Todos os Posts
×

Quase pronto…

Acabámos de lhe enviar um email. Por favor, clique no link no email para confirmar sua subscrição!

OK

...